Africa Inland Mission Internacional

Aim Global Aim Global

Perdidos no Lago Esquecido (com Lucas) 14/06/2019

Perdidos no Lago Esquecido (com Lucas)

Perdidos no Lago Esquecido (com Lucas)

Queridos irmãos e irmãs,

A foto acima foi tirada da sacada do meu quarto de hotel, em um lugar chamado “Baía de São Paulo”, na ilha de Malta. Estávamos lá para a Conferência da Visão 5:9, numa localidade de onde se pode ver o (suposto) local onde Paulo sofreu o naufrágio, registrado fielmente por Lucas em Atos 27-28. O clima em Malta era terrível, com uma forte ventania conhecida como “Nordeste” que agitava o mar e empurrava ondas fortes contra a costa. Queríamos visitar o (suposto) local do naufrágio, o qual pode-se ver na foto. Há uma ilha no centro, com dois objetos destacando-se: uma estátua de Paulo e uma capela. Contudo, o povo maltês é mais esperto que o capitão do navio de Paulo e não programa viagens à ilha no inverno, então tivemos de nos contentar com a vista da sacada. Não foi difícil imaginar o navio preso na restinga enquanto tentava entrar na baía, assim como não foi difícil imaginar o terrível fim da embarcação. Pela graça de Deus, Paulo, Lucas e todos os 276 passageiros e tripulação foram salvos naquele dia e recebidos em Malta.

Andar pela praia, observando o romper das ondas, foi uma oportunidade ímpar para meditar a respeito de Paulo, seu naufrágio e sofrimento. Sem esquecer de Lucas! Ele foi um companheiro de viagem voluntário e participante dos sofrimentos de Paulo, e provavelmente estava apavorado…minimamente, ele ficou encharcado e gélido, e perdeu seus pergaminhos, instrumentos de anotação e estetoscópio. De qualquer modo, fico impressionado e sou desafiado pelo exemplo de Paulo, pela sua disposição para se sacrificar e sofrer por amor a Jesus, o evangelho e a Igreja. Paulo era um grande homem, um grande escritor, um grande teólogo e grande trabalhador (assim como Lucas). Mas essa história não é exatamente sobre Paulo. A história é sobre Jesus. Jesus, aquele que morreu, salvou, chamou para servir, guiou, inspirou, encheu, transformou e usou Paulo. A história é sobre Jesus, por quem Paulo estava disposto a naufragar, apanhar, ser preso, apedrejado, etc. Paulo era grande, mas estava disposto a se sacrificar e morrer porque era inspirado pela grandeza de Jesus, não por sua própria. E Paulo será recompensado, não por sua grandeza, mas por causa de seu serviço e fidelidade a Jesus.

O que podemos dizer a respeito de sacrifício e sofrimento? Paulo e Lucas naufragaram...algo terrível de se acontecer. Certamente, Paulo e Lucas não partiram com a intenção de naufragarem em Malta ou em qualquer outro lugar. Toda essa série de eventos se deu por conta da corajosa proclamação do evangelho por parte de Paulo. E por causa de sua corajosa proclamação do evangelho aos judeus, gregos, romanos, soldados, reis, fariseus, saduceus, juízes, oficiais e a qualquer um que fosse escutar, Paulo foi eventualmente posto nesse navio para ser enviado à Roma para julgamento. Por acaso Paulo estava à procura de sofrimento? É BEM PROVAVEL que não. Paulo estava nesse navio, sobretudo, porque ele havia recorrido a César dado que sabia que provavelmente seria julgado, ou ainda, assassinado de maneira injusta se voltasse à Jerusalém - na verdade, ele estava tentando evitar o martírio. Ainda assim, Paulo estava disposto a sofrer por amor ao evangelho, à Igreja e ao Senhor. A palavra-chave é "disposição". Do mesmo modo, nós não buscamos voluntariamente o sofrimento, mas estamos dispostos a sofrer se necessário. O sofrimento não nos torna, automaticamente, trabalhadores melhores ou mais frutíferos. Normalmente, é sábio e correto de nossa parte afastarmo-nos do sofrimento – era isso que Paulo estava fazendo quando sofreu o naufrágio. O que buscamos não é sofrer apenas, mas sermos fiéis testemunhas de Jesus Cristo! Buscamos a salvação dos perdidos! Buscamos fazer discípulos e plantar a Igreja! Se isso requer sofrimento, então nós, inspirados pela grandeza de Jesus, assim como Paulo (e Lucas!), estamos dispostos a sofrer. Como afirma nossa diretriz: Uma vez que somos parte desse povo precioso, redimido e muito amado pelo Senhor, aceitaremos sofrer pelo Senhor, por Seu povo e por aqueles que ainda não foram alcançados à medida que corajosamente proclamamos o evangelho. (1 Pedro 4:12-13)

Irmãos, vocês podem nunca ter sofrido um naufrágio, apedrejamento, prisão ou agressão, mas muitos de vocês sofreram e todos vocês sacrificaram algo pelo Senhor e por Seu evangelho. O Senhor é honrado por seu serviço, sacrifício e disposição para sofrer! Pense na promessa de Jesus à Maria de Betânia em Mateus 26:13, logo após ela ter sacrificado seu precioso perfume para Jesus: “Em qualquer lugar do mundo inteiro onde este evangelho for anunciado, também o que ela fez será contado, em sua memória” (NVI). O meu comentarista diz: “Ambos os fatos, de que nada é desperdiçado para Jesus e de que nada é esquecido, deveriam impulsionar os discípulos a destamparem seus preciosos vasos de alabastro e derramarem-nos por Jesus.**” Isto é tão encorajador para mim: nada que é feito para Jesus, principalmente sacrifício e sofrimento, é desperdiçado ou esquecido, e para destacar isso:

Hebreus 6:10 “Pois, Deus não é injusto para se esquecer do vosso trabalho e da caridade que mostrastes para com seu nome, quando servistes e ainda servis aos santos. *”

1 Coríntios 15:58 “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, constantes, aplicando-vos cada vez mais à obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. *”

Filipenses 1:29 “'Pois vos foi concedido, por amor de Cristo, não somente o crer nele, mas ainda o padecer por ele, sofrendo o mesmo combate que vistes em mim e agora ouvis que está em mim. *”

1 Pedro 4:19 “'Portanto, também aqueles que sofrem segundo a vontade de Deus confiem as suas almas ao fiel Criador, praticando o bem. *”

Me sinto honrado de estar com você em seu sofrimento por amor a Jesus, o evangelho, a Igreja e o perdido. Se o sofrimento vier, que estejamos dispostos para aceitá-lo juntos.

Luke Herrin
Diretor Internacional AIM

Tradução: Natália Morais 
Revisão: Patrícia Flexa

Artigos relacionadas