07/09/2020

A noite escura da alma


Photo by Matthew Henry on Unsplash

Recentemente me deparei me aprofundando no texto de Lucas 24:15-16 que retrata uma situação bem interessante: “enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles, mas os olhos deles foram impedidos de reconhece-los”.
Esse texto me levou a refletir sobre situações que são comuns em nossa caminhada.  
 
Você já se sentiu caminhar sozinho? Olhando para todos os lados a busca de respostas, de companhia, ou até mesmo de uma palavra amiga, e não achou? 
 
João da cruz chama essa experiência de “a noite escura da alma”, ele define como um momento em que somos invadidos pela dubiedade de quem clama a Deus, mas não acredita muito que Ele esteja lá para ouvir ou responder. Um momento de total desespero onde notamos que falta em nós reflexões, paixões e afetos em relação a Deus, e seu poder, sua verdade e seu querer. Instala-se então uma absoluta solidão, um completo apagão, onde não conseguimos enxergar um palmo a nossa frente.  
 
O fato é que existem momentos nas nossas vidas (infelizmente ou felizmente) em que somos levados a caminhar pela estrada de Emaus, onde não conseguimos enxergar Deus, muito menos o proposito do momento sombrio e doloroso que passamos. Interpretamos o caminho de Emaus como um o caminho da humilhação, do despojamento, da renúncia, do abandono e da abnegação, e nos deparamos com única saída, de dizermos a Deus que não entendemos, que desistimos, que a noite é escura demais.  
 
Existe uma frase de C.S.Lewis que toda vez que vejo, me faz pensar em momentos como esse: "Mas se você sabe o que é isso, se já passou a noite toda acordado e chorou até acabarem as lágrimas... então sabe que, no fim, desce sobre a gente uma grande calma. Chegamos até a ter a sensação de que nada mais nos poderá acontecer." - As Crônicas de Nárnia , C.S. Lewis 
 
Engraçado que nos momentos em que podemos enxergar algo, muitas vezes ficamos presos ao status do que somos, nos agarramos em “nossas convicções tênues, respostas superficiais, construídas e afirmadas como evidências de Deus”. Mas no exato momento após perdemos toda esperança, em plena escuridão, após uma noite inteira de choro, só após vermos nossa humanidade sendo completamente inútil, podemos perceber nossa fé se renovando.  
 
Na nossa caminhada aprendemos que os silêncios e “ausências de Deus” (é assim que nos sentimos- sozinhos!) são extremamente positivos e fecundos. Na noite escura, percebemos Deus com mais intensidade e realidade, somos limpos dos clichês, das superficialidades e falsidades da fé. E só assim, o rosto de Deus brilha pela manhã. Como diz o salmista: O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.   
 
Se você esta atravessando a noite escura da alma, minha oração é para que você siga a orientação de Cristo, entre em seu quarto, feche a porta e em silencio se entregue completamente. Pois aquele que vê em secreto te recompensará. Não desista! Continue caminhando. Que você possa perceber que o Cristo ressurreto está caminhando ao seu lado. Sempre esteve e sempre estará. 

Eleny

Avatar
Publicado por Fernanda