21/01/2020

Alegrem-se na esperança...

Pemba, 8 Janeiro de 2020

“Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação e perseverem na oração”. Romanos 12:12


Queridos parceiros de caminhada,

É com alegria e gratidão em nosso coração que queremos saldar vocês nesse início de ano e dizer que somos gratos por tudo o que o Senhor tem nos permitido viver aqui em Pemba. Esse versículo representa bem um pouco do nosso último mês de 2019.

Nossas aulas de Kimwani estão acontecendo semanalmente, e é desafiador aprender uma outra língua, mas sabemos que com a graça de Deus vamos conseguir. Fazer isso na comunidade também tem tornado nosso desafio mais suave.

Em nosso último encontro do ano com nossos irmãos Mwanis fomos bastante encorajados com suas histórias e o que Deus tem feito também através deles na comunidade local. Um deles, irmão "S", tem sofrido bastante pressão por parte da família por ser cristão e permanecer firme na fé. Por favor, ore conosco por ele para que continue perseverante na fé e que seus parentes possam ser alcançados pelo amor de Jesus.

Vinicius teve o privilégio pela primeira vez de ministrar a palavra do Senhor na igreja local o qual temos congregado. A igreja tem nos recebido com muito carinho e convidou Vinicius para trazer uma reflexão durante o período de preparativos das festividades do natal. Foi uma oportunidade muito boa de relembrar o nascimento de nosso Salvador e encorajar os irmãos a deixar a luz de Cristo brilhar a todos ao nosso redor.


Em meados de Dezembro passamos por uma situação desconfortante com a polícia de trânsito. Fomos parados para uma inspeção e uma das situações enquadras foi que Vinicius já era residente e deveria estar utilizando a permissão de dirigir Moçambicana e não mais a PID (Permissão Internacional para Dirigir). Porem a percepção que tivemos era que o policial queria tirar vantagem de nós, pois ele tinha retido a PID e o documento do carro, aplicado uma multa extremamente alta e só iria devolver os documentos após pagamento da multa. Foi uma situação bem desconfortante, especialmente com a retenção dos documentos, e sem termos recursos sobrando, efetuamos o pagamento e recuperamos os documentos no Departamento de trânsito. Conforme o código de trânsito e o acordo entre Brasil e Moçambique temos direito de dirigir usando a PID por até 180 dias, e o artigo que ele tinha nos enquadrado era como se Vinicius fosse um motorista remunerado sem permissão para dirigir. A orientação de amigos, vizinhos e missionários é que deveríamos retornar ao Departamento de trânsito para reaver a multa. Em nosso coração só queríamos que a situação fosse tratada com justiça e sem tirar proveito porque somos estrangeiros. Depois de um dia bem difícil e de dor, entregando a situação perante Deus, retornarmos ao Departamento de transito no outro dia e a situação foi revista e eles reconheceram que o agente tinha agido arbitrariamente conforme o código de trânsito, desconsideram e efetuaram a devolução do dinheiro da multa relacionado a permissão para dirigir. Louvado seja Deus por pelejar por nós e por terem reconhecido a situação injusta. 

Dezembro foi um mês desafiador com algumas situações que passamos mas também com os preparativos para o Natal. Em nosso planejamento para o Natal não tínhamos os recursos suficientes para recepcionar todas as famílias convidadas e fazer um momento especial com as crianças de nossa rua, mas colocamos diante do Senhor em oração. Começamos a orar, planejar o natal e duas pessoas que tem caminhado com a nossa família se colocaram a disposição para nos ajudar na organização do Natal conforme o contexto local. Recebemos um presente para usar no nosso Natal e entendemos que era o Senhor nos dando os recursos que faltavam. Para nossa família era importante esse momento para falar abertamente de Jesus aos nossos vizinhos.

Tivemos dois momentos em nossa casa para celebrar o Natal: No dia 24 fizemos uma ceia com 3 famílias e suas crianças em nossa casa. Foi uma benção celebrar o Natal e poder falar abertamente sobre Jesus. No dia 25 fizemos um café da manha para as crianças com bolo e suco. Cantamos, contamos uma história sobre o nascimento de Jesus e oramos juntos. Tínhamos no quintal de nossa casa em torno de 40 crianças, e nenhuma delas sabia o motivo de celebrarmos o verdadeiro sentido do Natal. Para nossa família foi um tempo precioso, pois declaramos abertamente para nossos vizinhos que somos cristãos e pudemos compartilhar o pouco que tínhamos com eles. Foi especial!