31/07/2017

Junho teve de tudo... mas em Julho a vida foi voltando ao normal!

“Junho teve de tudo: aniversário, homenagem, terremoto, defesa de qualificação para o doutoramento... Mas em Julho a vida foi voltando ao normal.”

Terremoto
No fim de junho a cidade da Beira tremeu.  Graças a Deus foi mais susto do que outra coisa. Não houve perdas humanas ou grandes prejuízos. Essa foi a segunda vez que experimentei um terremoto e por isso não pude deixar reflectir sobre o tema. Em 2006 o terremoto deixou alguns mortos, e prejuízos materiais. Foi mais forte 7.5 e mais longo. Este ano foi mais breve, e mais brando 5.8 de magnitude. Só tremor mesmo.  

Pensei então que o terremoto nem sempre são sinônimo de destruição, às vezes, as coisas apenas saem do lugar, mudam de posição. Terremoto pode ser mudança. Lembrei que na Bíblia algumas vezes terremoto foi sinônimo de libertação como aconteceu no At 16 quando o terremoto abriu as portas e permitiu a libertação dos discípulos e a salvação do carcereiro. O terremoto moveu a pedra do sepulcro.  

Eu já passei por alguns terremotos na minha vida cristã, onde Deus fez estremecer tudo de baixo dos meus pés, mas, pela graça não foram terremotos de destruição. Foram abalos sísmicos de mudanças. Deus é muito bom. Ele transforma em bem, mesmo quando alguém nos planifica o mal, e traz glória para o Nome Dele. Ele age com misericórdia mesmo quando nós falhamos. Ele permite abalos e faz mudanças no cenário e em nós.

Um presente inesquecível
O meu aniversário (dia 1 de Junho) foi simples no meio de tanta correria. Mas, aconteceu algo especial que não posso deixar de contar. Ganhei uma canção, feita por uma das adolescentes que cresceu aqui em casa (minha vizinha Zinha). Hoje ela  é membro da igreja Baptista, líder das moças de lá. Ela compôs e me ofereceu uma música que ela deu o nome de “a destemida”. Sugestivo, não é?

Ela conta e canta num vídeo, se alguém desejar ouvir (postei no facebook). Com uma doce voz ela me emocionou transformando em música a minha  história.

“Logo pequena escolheu servir a Deus... mesmo seus pais sendo contra enfrentou.... Vários destinos incertos   passou, seguindo a Deus, foi vencendo, resplandecendo....

Pra mim você é especial para mim você é raridade.  (Coro – repete 2 vezes)

Para um país tão pequeno tão pobre clamando de Deus.  Ainda em guerra e batalhas, clamando socorro” de Deus....  (Coro – repete 2 vezes).

Tem como não se emocionar?
Só e digitar choro

De volta ao passado
Eu sentia saudade de subir no comboio (trêm), ou andar de Chapa cem, de machimbombo (ônibus) e ver de perto o Moçambique “real”. Sair da cidade.... Claro, para isso, é preciso enfrentar as aventuras nas estradas precárias de Moçambique, e os desafios de esperar horas numa estação, e coragem para subir num comboio. Desde que o conflito armado recomeçou a quatro anos atrás as viagens por terra estavam suspensas, por questão de segurança.  Mas pela graça, e resposta de muita oração, o cessar fogo foi acordado, e fiz a minha primeira viagem ao interior.  Fui à Caia no Norte de Sofala, para a inauguração do templo de uma de nossas igrejas.

Foi uma alegria todo o programa, e um incentivo para as igrejas da Beira que ainda não concluíram os seus templos apesar dos anos. Além disso, a comunhão no transporte público foi ímpar.  Algo que me alegrou foi ver uma das mulheres da igreja (Anita), com um dom incrível de evangelização, reunir em torno dela, dezenas de pessoas compartilhando a sua experiência, criando debate, e abrindo para perguntas.... Eu fiquei ali caladinha, com os olhos fechados como se dormisse, ouvindo o seu desempenho. Não queria intervir, queria ouvir as perguntas e as respostas dela.   

Fiquei feliz ao ver a sua firmeza, seus argumentos bíblicos e o testemunho da sua própria história.  Aqueles passageiros desceram e outros subiram, e ela continuou a compartilhar e testemunhar como foi liberta dos ritos tradicionais e medo da feitiçaria.

Aí eu pergunto: Vale a pena ou não enfrentar os terremotos da vida e servir a Deus?

Mais um passo
A Defesa de qualificação para o Doutoramento correu bem, pela Graça. O projejcto foi aceite pela Universidade e agora preciso gerir bem o tempo para no meio de tanto trabalho conseguir avançar com minha pesquisa empírica. Conto com as vossas orações.

Uma homenagem
E assim, apesar dos tantos desafios  eu completei meus 25 anos em Moçambique recentemente.  Para minha surpresa, durante a nossa conferência em Junho,  recebi uma pequena homenagem da MIAF Brasil. Nosso chefe, em visita a Moçambique me ofereceu uma placa de condecoração. Louvo a Deus pela força que vem do Senhor e pela alegria de servi-lo.

“Graças, porém, a Deus que em Cristo sempre nos conduz em triunfo, e por meio de nós difunde em todo lugar o cheiro do seu conhecimento” (2 Coríntios 2:14).


Um dia que Deus sorriu
Um domingo especial. Nem sempre e assim, mas foi um daqueles dias onde tudo parecia orquestrar para um culto de adoração que tira o sorriso de Deus. Tivemos uma Ceia do Senhor simples, porém bem administrada e ensinada. Os grupos corais se seguiam harmoniosos. Como fiquei feliz por não ter eletricidade e ai o teclado não abafava as vozes inigualáveis dos africanos. Dois grupos infantis, três de mulheres e três de jovens. Cada qual com suas três canções como de praxe. Mas o som, era tao agradável que minha coluna nem queixou por ter ficado sentada por tanto tempo.

Tão somente sê forte e corajoso para teres cuidado de fazer segundo toda a lei... dela não te desvie nem para direita, nem para a esquerda para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. Josué 1:7

Um forte abraço a todos vocês.
Maura


Avatar
Publicado por Fernanda