27/07/2018

Um resumo

Prezados irmãos em Cristo,

Hoje completamos quase dois terços da nossa viagem. Desde o último dia 09/07 Eliane e eu estávamos em Pucallpa, conforme foto ilustrativa.

Estes primeiros 13 dias foram bastante intensos, conforme relato a seguir em ordem cronológica:

Dias 10 e 11 pela manhã nós nos reunimos com Juan Carlos Sanchez e a esposa Zulema. Eles têm dois filhos o Juan Carlitos de 8 anos de idade e a Gracia Zulema 4 anos de idade. Assim, nós gastamos 2 manhãs em compartilhar da Palavra de Deus, compartilhar sobre a familia e o ministério, geralmente nesta ordem. Pudemos orar juntos, e com isto entender melhor o trabalho desta familia no Peru. Pudemos também compartilhar tempo de refeições e outras atividades deste tipo juntos e é muito bom estreitar os relacionamentos que já tínhamos.

Dia 12 à tarde pude reunir-me com dois líderes indígenas o Rafael que é o Diretor Executivo da Rede Trans Amazônica e Denis Magin, presidente da Relenap que é a rede Indígena peruana. Tivemos um bom tempo juntos e ao fim eles puderam compartilhar algumas necessidades que eles tinham, duas delas eram, ter fundos para fazer uma viagem pela Rede Peruana a um evento em uma ladeia e por líderes comprometidos com a visão de alcance das etnias da Amazônia Peruana. Antes de sair de Pucallpa eu soube que um irmão havia dado uma oferta para cobrir os custos da referida viagem. Fiquei feliz, porque eles puderam experimentar que orar funciona e que isto possa infundir-lhes fé, todas as vezes que tiverem necessidades de qualquer espécie eles podem confiar que Deus é poderoso para suprir toda e qualquer tipo de necessidade.
Durante todos os dias que estivemos em Pucallpa, Eliane estava ensinando artesanatos para várias mulheres indígenas, especialmente as mulheres da etnia shipiba. Como já temos relatado, Eliane trabalha como voluntária em um projeto social em Joinville, onde várias mulheres da sociedade fazem brinquedos para presentear crianças em tratamento de cancer em um dos hospitais da cidade. Lá entre tantas outras coisas ela aprendeu a fazer bonecas de pano e com a ajuda de outras pessoas e recursos ela pode aperfeiçoar isto e já tem condições de ensinar. Então com esta viagem já marcada ela decidiu que iria ensinar as indígenas a fazer bonecas de pano, então ela veio preparada para isto. Ao chegar e iniciar este processo ela soube que as mulheres shipibas que ela ensinou quase todos os dias que estávamos em Pucallpa, queriam aprender a fazer bonecas e algumas delas demonstram muita habilidade com isto. É aquele tipo de oração que para ser respondida Deus começa o processo muito tempo antes de que tudo se concretize.

Dias 14 e 15 o nosso pesquisador Drake Sprague, ofereceu um treinamento para que indígenas e não indígenas daquela região pudessem ser pesquisadores de campo e levantar dados sobre os grupos indígenas da Amazônia Peruana, após o curso, na próxima semana os que participaram, puderam aplicar de forma prática o que aprenderam ao entrevistar indígenas de várias etnias que estavam em um evento da Faienap - Fraternidade de Associações de Igrejas Evangélicas Nativas da Amazônia Peruana. Esta organização celebrou 30 anos de existência durante esta semana que hora passa.

Dias 16 e 17 tivemos as reuniões administrativas de ETO - Equipe Três Ondas. Acho que tivemos umas 8 horas de reuniões por dia, tratando de vários assuntos relacionados ao desenvolvimento de MTO - Movimento Três Ondas. Algumas decisões que destaco são as seguintes: 1. Que ano de 2019 faremos uma Consulta sobre a Etnias não Alcançadas da Amazônia Colombiana. Isto deverá acontecer no mês de agosto de 2019. Assim, todos os preparativos necessários precisam começar; 2. Que também no ano de 2019, junto à consulta proposta, deverá ocorrer um evento da Rede Trans Amazônica, com o fim de avaliar o movimento, confirmar a visão que o movimento tem e olhar para o futuro e saber quais são os passos necessários para atingir o alcance da etnias amazônicas e das terras baixas da América do Sul; 3. Que no ano de 2020, possivelmente no mês de outubro e talvez em Lima, faremos uma consulta geral sobre os povos amazônicos não alcançados da Amazônia e das terras baixas da América do Sul.

Dias 17, 18, 19 e 20 tempo para eu, Enoque, ficar doente. Certamente um virus qualquer me atacou, o que me provocou febres altas por 3 dias, me pondo cama. Nenhum outro sintoma forte apareceu como resultado e eu já estou recuperado. Porém todas as outra atividades continuaram, ou seja, Eliane estava ensinado as mulheres, nossa equipe - ETO indo todos os dias para o evento da Fainep, participaram da pesquisa proposta, sem que tivessem qualquer problema neste tempo.

Dia 21 voamos para Lima a fim de esperar o vôo de amanhã dia 22 para Bogotá, onde também teremos uma agenda carregada, mas isto vou reportar depois.

Obrigado pelas orações e sustento.
Enoque e Eliane de Faria

Ps. Abaixo fotos ilustrativas das noticias colocadas acima.


Pucallpa a porta de entrada da Amazônia Perua


Juan Carlos e Zulema preparando um ceviche para os hóspedes


Enoque explicando as razões e benefícios do curso que ia ser ministrado


Drake Sprague dando o curso sobre pesquisa


Nosso pessoal pronto para o seu primeiro trabalho de campo

Avatar
Publicado por Fernanda