28/09/2018

Uma maratona

O mês de setembro foi mesmo uma maratona. Foram muitas horas voadas entre Moçambique a Angola, e depois Portugal. O desvio via Angola tornou a viagem mais longa, mas também muito, muito mais barata. Dias inesquecíveis.

Eu viajei numa missão de estudo. Como todos sabem estou num programa de doutoramento e isso requer apresentar alguns artigos científicos e escrever e defender uma tese. Minha orientadora vive no Porto, e esse encontro era mesmo necessário. O curso tem sido um desafio, mas já estou na fase final.

Durante o vôo eu pensei, acho que nasci para voar, pois enquanto pessoas reclamavam com dores de ouvido ou maldispostas do estômago, ou outras ainda com medo, suando frio, eu estava totalmente confortável. Julgo que Deus me fez assim pois de antemão sabia das tantas viagens que eu teria que fazer.

Deus cuidou de tudo nessa viagem. Defendi meu artigo científico em Lisboa, e tive um excelente encontro com a minha supervisora no Porto. Além disso, gastei tempo com amigos amados da minha igreja em Florianópolis, e outros amigos que conheci na África anos atrás. Viajei muitos quilômetros de comboio.

Imaginem que na igreja que visitei em Lisboa, coincidentemente era um culto missionário, e o pregador era de uma missão que apoia um trabalho na cidade da Beira, em Moçambique. Ele passou vídeos, onde vi alguns dos meus alunos. Ele apresentou um projecto que hoje é dirigido por um ex-aluno do nosso instituto que comecei a ensinar a Bíblia quando ele tinha 15 anos. Deus é demais. Me levou tão longe para me encorajar e me mostrar frutos do meu trabalho.

Conhecer Portugal me encantou. Depois do serviço, tirei cinco dias de férias para realizar o sonho de conhecer algumas cidadezinhas da Itália. Tudo foi tão perfeito, que não tenho palavras para agradecer à Deus e aos amigos que me ajudaram.


De volta a Maputo, defendi um segundo artigo científico e já estou de volta a Beira, disposta a recomeçar minhas aulas na próxima semana e encarar o desafio da construção do muro do nosso projeto.
Esses dias fora da Beira, foram fundamentais para tomar um novo fôlego pois a verdade é que me sinto numa maratona e bem cansada...


Uma maratona é uma corrida de longa distância cuja distância oficial é de 42,195 km. A grande maioria dos atletas que participa não a corre para vencer. O mais importante para os corredores amadores é correr contra si mesmo, conseguindo tempos mais rápidos a cada vez e uma melhor colocação em seu grupo de idade ou de sexo. Muitos tem como meta apenas conseguir completá-la. Dizem que entre as estratégias para a prova deve-se correr a distância toda em ritmos diferentes ou andar e correr alternadamente por todo o percurso.

Nos últimos anos, sinto-me como se tivesse numa maratona, uma corrida de longo percurso que preciso administrar, respirar, hidratar e controlar o ritmo para chegar ao fim. Essas “mudanças de ritmo são necessárias”. Eu quero completar minha carreira, e correr bem até ao fim. Meu versículo ao longo desses 27 anos de campo missionário tem sido At 20:24:

“Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.”

Peço orações pelo desafio da construção do muro que já começamos e as aulas que reiniciam essa semana, e concentração para terminar a tese.

Maura

Avatar
Publicado por Fernanda